O que a Upper Side faz é uma mistura de “outplacement” com “coaching”, certo?

dwnugvn2xsw-qusai-akoud

Não, não é verdade. Apesar de algumas das nossas intervenções recorrem a técnicas comuns ao “coaching”, o foco da nossa actividade é a gestão e optimização de carreira e não tanto o desenvolvimento, em sentido mais estrito, do nível de eficácia pessoal e/ou profissional – uma das possíveis definições de “coaching”. O “outplacement”, por seu lado, tem como objectivo a recolocação de profissionais, após uma cessação de um vínculo profissional, em regra com um enquadramento organizacional mais vasto (reestruturação, “downsizing” e afins) e sendo o seu custo assumido pela empresa (ex-)empregadora dos colaboradores abrangidos. Ora, a Upper Side trabalha exclusivamente com clientes individuais (e não com empresas, portanto) e em contextos mais variados de carreira. Desde logo, e a título de exemplo, importa referir que a maioria dos nossos clientes está no activo, durante o programa contratado.

Têm ligações a empresas congéneres, em Portugal e no estrangeiro?

Em Portugal, não existem propriamente empresas que combinem a nossa profundidade de linhas de serviços / tipo de intervenções com o nosso grau de absoluta especialização. Existem, no entanto, outras empresas e profissionais cuja actividade tem pontos de contacto óbvios, dado fazerem Career Management.

Acompanhamos com evidente interesse – e o sempre devido respeito – o seu desenvolvimento e, quando necessário, estamos disponíveis para conversar sobre assuntos comuns, desde que subordinados a um dos seguintes eixos: i) como profissionalizar, como criar quadros de referência sólidos, para este tipo de actividade; ii) de que forma podemos tornar o nosso apoio aos clientes ainda mais efectivo, ainda mais eficaz.

No que se refere a outras geografias, acompanhamos também o que se vai fazendo, de modo a identificar potenciais “best practices” e a criar parcerias que possam ser verdadeiramente úteis para os nossos clientes (exemplo óbvio: ter acesso cruzado ao “scouting” de oportunidades).

Que garantias tenho de resultados?

45sjajsjarq-jose-martin.jpg

Naturalmente, o tipo de resultados esperados depende do tipo de intervenção solicitada e do correspondente programa contratado. Quando falamos de “deliveries” processuais, a garantia é total – entregamos o que acordamos, com todos e com cada cliente. Do mesmo modo, os nossos clientes têm o nosso compromisso de profissionalismo, rigor, sigilo, diligência, sentido de responsabilidade e de “accountability”.

Admitindo, contudo, que a pergunta diga directamente respeito ao programa que envolve a procura de uma nova oportunidade profissional, a resposta terá que ser a única que, em consciência, é admissível: não podemos dar garantia de sucesso. Podemos, contudo, para além das garantias acima referidas, mencionar o nosso histórico e, com base no mesmo, dialogarmos sobre probabilidades. Em regra, sabemos que podemos aumentar as probabilidades de quase todos os candidatos – e, para muitos, como os resultados demonstram, de forma decisiva.